| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Ecopress
Desde: 17/03/2000      Publicadas: 26928      Atualização: 01/12/2009

Capa |  Cadastre-se  |  Eco Watch  |  Eco-Eventos  |  Ecolinks  |  Expediente  |  Newsletller  |  Notícias com Alta Repercussão  |  Notícias com Baixa Repercussão  |  Opiniões  |  Parceria


 Notícias com Alta Repercussão
  13/10/2009
  0 comentário(s)


Novas regras podem abrir mercado ao etanol nos EUA
Mandato de Combustíveis Renováveis divulgará
regras que poderão significar um mercado de
15 a 40 bilhões de litros de etanol
SÃO PAULO - O inferno astral do etanol pode estar perto do fim, com a implementação do novo
Mandato de Combustíveis Renováveis (RFS, na sigla em inglês) dos Estados Unidos. Dentro de
algumas semanas, a Agência Americana de Proteção Ambiental (EPA) vai divulgar as regras que
poderão abrir um mercado potencial de 15 bilhões a 40 bilhões de litros de etanol para o Brasil nos
próximos 12 anos. Isso sem contar o efeito "psicológico" em outros países, que também podem
adotar o etanol para reduzir as emissões dos gases de efeito estufa.

O mandato americano estabelece um consumo mínimo de biocombustíveis superior a 40 bilhões
de litros neste ano e de até 136 bilhões de litros em 2022. A proposta de regulamentação da EPA
define os índices de emissão de carbono de cada um dos combustíveis existentes hoje e também
os do futuro, ainda não produzidos comercialmente. Na minuta colocada em audiência pública pela
EPA, o etanol de cana-de-açúcar se enquadraria como combustível avançado, que precisa reduzir
pelo menos 40% da emissão dos gases de efeito estufa. O número atribuído ao combustível
brasileiro foi de 44%, afirma o representante da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) nos
Estados Unidos, Joel Velasco.

A definição, no entanto, provocou um levante entre cientistas, especialistas e produtores de etanol
no Brasil. Na opinião deles, o combustível nacional pode reduzir em 70% ou mais as emissões dos
gases de efeito estufa. Para provar que a metodologia da agência americana não condiz com a
realidade do País, a Unica elaborou um documento de 40 páginas, com base em estudos e
conceitos de instituições renomadas, como Unicamp e Instituto de Estudos do Comércio e
Negociações Internacionais (Icone).

Se a Unica conseguir emplacar seus argumentos, o etanol poderia suprir um mercado de 15
bilhões de litros nos Estados Unidos, reservado para os combustíveis avançados. O volume é três
vezes maior que todo álcool exportado pelo Brasil no ano passado, de 5,1 bilhões de litros. Para os
Estados Unidos, foram vendidos 1,5 bilhão de litros de etanol em 2008. As informações são do
jornal O Estado de S. Paulo.


  Mais notícias da seção Combustível no caderno Notícias com Alta Repercussão
19/10/2009 - Combustível - Coelhos são queimados para gerar biocombustível na Suécia
Prefeitura de Estocolmo é a fornecedora dos animais ...
17/08/2009 - Combustível - Etanol já é o principal combustível da matriz energética brasileira para carros leves
A ANP afirma que o álcool será, cada vez mais, o principal combustível para carro de passeio no Brasil....
04/05/2009 - Combustível - Petrobras desenvolve diesel menos poluente
S-50 tem um décimo de enxofre da versão mais avançada de disel no mercado...



Capa |  Cadastre-se  |  Eco Watch  |  Eco-Eventos  |  Ecolinks  |  Expediente  |  Newsletller  |  Notícias com Alta Repercussão  |  Notícias com Baixa Repercussão  |  Opiniões  |  Parceria


Busca em

  
26928 Notícias