| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Ecopress
Desde: 17/03/2000      Publicadas: 26928      Atualização: 01/12/2009

Capa |  Cadastre-se  |  Eco Watch  |  Eco-Eventos  |  Ecolinks  |  Expediente  |  Newsletller  |  Notícias com Alta Repercussão  |  Notícias com Baixa Repercussão  |  Opiniões  |  Parceria


 Notícias com Alta Repercussão

  30/07/2009
  0 comentário(s)


Comitê quer reduzir vazão mínima do rio S. Francisco

Comitê quer permissão do Ibama para que a
vazão mínima em Sobradinho passe dos atuais
1.300 m³/s para até 700 m³/s

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, presidido pelo ministro das Minas e Energia, Edison
Lobão, encampou uma proposta feita pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) que deve
enfrentar forte oposição. O objetivo é conseguir permissão do Ibama e da Agência Nacional de
Águas (ANA) para que a vazão mínima do rio São Francisco na barragem de Sobradinho (BA) seja
reduzida dos atuais 1.300 metros cúbicos por segundo para um volume que o diretor-geral do ONS,
Hermes Chipp, estima que possa ser de até 700 m3/s.

O comitê criou um grupo de trabalho, sob a coordenação da ANA, para estudar a adoção da medida
e pediu rapidez nos trabalhos. A alteração, segundo Chipp, atenderia a dois objetivos. O primeiro
seria reter mais água na barragem quando o período das chuvas (dezembro a abril) não trouxer as
precipitações necessárias para gerar energia no período seco (maio a novembro). Hoje é preciso
uma autorização especial do Ibama e da ANA para reduzir temporariamente a vazão do rio.

O segundo objetivo seria dar uso ao parque de geração termelétrica que está sendo instalado no
Nordeste e que terá potência total de 10.200 megawatts (MW) em 2013. Somada a geração hídrica
e a termelétrica, o Nordeste ficaria com uma sobra de energia de 2.250 MW que não poderiam ser
exportados para outras regiões por falta de linhas de transmissão. Chipp acredita que é mais
econômico reduzir a geração hídrica, poupando água de Sobradinho e gerando mais energia
térmica, do que fazer às pressas as linhas de transmissão. Representantes de vários setores da
região que participam do Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco já reclamam de prejuízos
que poderão resultar da medida.





Capa |  Cadastre-se  |  Eco Watch  |  Eco-Eventos  |  Ecolinks  |  Expediente  |  Newsletller  |  Notícias com Alta Repercussão  |  Notícias com Baixa Repercussão  |  Opiniões  |  Parceria


Busca em

  
26928 Notícias