| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Ecopress
Desde: 17/03/2000      Publicadas: 26928      Atualização: 01/12/2009

Capa |  Cadastre-se  |  Eco Watch  |  Eco-Eventos  |  Ecolinks  |  Expediente  |  Newsletller  |  Notícias com Alta Repercussão  |  Notícias com Baixa Repercussão  |  Opiniões  |  Parceria


 Eco Watch

  02/07/2008
  0 comentário(s)


Governo não sabe de quem são 14% das terras da Amazônia


Brasília, DF " Levantamento feito pelo Instituto Nacional de Colonização e a Reforma Agrária (Incra) traz a realidade à tona: o governo brasileiro não conhece de fato a Amazônia. O estudo diz que 14% das terras da Amazônia Legal não têm dono. São 710,2 mil quilômetros quadrados " área equivalente a duas vezes a Alemanha, ou aos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul e Paraná, juntos. A Amazônia Legal possui área de 5 milhões de quilômetros quadrados.

O Incra tem jurisdição sob 65% desse total. Campeão de trabalho escravo no Brasil, o Pará também lidera em áreas cuja titularidade é desconhecida. Ali, segundo o Incra, são 288,6 mil quilômetros quadrados de terras de ninguém.

BR-163 e BR-230

A área corresponde a 23% do estado e é do mesmo tamanho do Rio Grande do Sul. Parte dessas terras sobrepõe-se às rodovias Cuiabá-Santarém (BR-163) e Transamazônica (BR-230) e a numa região produtora de minério e gado no leste do estado. Em segundo lugar, vem o Amazonas (141,8 mil), seguido por Rondônia, com 89,3 mil quilômetros quadrados. Campeão de trabalho escravo no Brasil, o Pará também lidera em áreas cuja titularidade é desconhecida. Ali, segundo o Incra, são 288,6 mil quilômetros quadrados de terras de ninguém.

O presidente do Incra, Rolf Hackbart, tem afirmado que o órgão precisa de mais investimentos " pessoal e equipamentos " e da parceria com os militares e com os institutos de terra dos estados. Campeão de trabalho escravo no Brasil, o Pará também lidera em áreas cuja titularidade é desconhecida. Ali, segundo o Incra, são 288,6 mil quilômetros quadrados de terras de ninguém.

Latifúndios

Na região, os imóveis com área de 2 a 100 mil hectares representam 49,5% dos imóveis do Brasil com estas dimensões e os com área superior a 10 mil hectares correspondem a 70,7%. Ali, também, pouco mais de 25 mil latifundiários ocupam um território equivalente ao que é ocupado pelas populações indígenas, negras e caboclas, com 2 milhões de pessoas. As áreas griladas já alcançam 13,99% da região, totalizando 70,4 milhões de hectares.

O levantamento do Incra será entregue ainda este mês pelo ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, a seu colega Mangabeira Unger, da Secretaria Especial de Assuntos de Longo Prazo (Sealopra). Unger foi escalado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para encaminhar o desenvolvimento sustentável da Amazônia, o que motivou a saída da ministra Marina Silva da pasta do Meio Ambiente. Logo após assumir o cargo, Mangabeira Unger confessou-se "um ignorante" sobre a Amazônia, mas mesmo assim continua plantado no cargo, no qual, por enquanto, tem se destacado em função do carregado sotaque norte-americano. (Ecopress com informações dos sites Envolverde / *Agência Amazônia / Liz - Agente da Paz - 02/07/08, às 11h49)



  Mais notícias da seção Amazônia no caderno Eco Watch
24/07/2008 - Amazônia - Manejo sustentável da Orsa Florestal preserva biodiversidade na Amazônia
Experiência de sucesso na exploração ambientalmente responsável de territórios de floresta amazônica nativa faz da empresa um dos principais nomes do segmento no Brasil ...
14/07/2008 - Amazônia - GRILAGEM NA AMAZÔNIA VIRA LEI
Senado aprova MP que legaliza áreas públicas invadidas e estimula a destruição da floresta...
29/09/2007 - Amazônia - Especialistas cobram proteção da Amazônia
Um dia depois de anúncio do presidente Lula, pesquisadores pedem medidas mais radicais ...
09/09/2007 - Amazônia - Brasil lança neste mês novo satélite para monitoramento territorial
Missão é crucial para que o País continue a ter imagens da Amazônia; instrumentos atuais podem parar de funcionar ...
02/09/2007 - Amazônia - Desmatamento aquece Amazônia em até 4C, diz Inpe
Estudo sugere que derrubada de mais de 40% da floresta muda o clima local, disparando o processo de savanização.Simulação em computador mostrou que troca da mata por lavoura de soja pode reduzir chuvas em até 24% no verão no leste amazônico ...



Capa |  Cadastre-se  |  Eco Watch  |  Eco-Eventos  |  Ecolinks  |  Expediente  |  Newsletller  |  Notícias com Alta Repercussão  |  Notícias com Baixa Repercussão  |  Opiniões  |  Parceria


Busca em

  
26928 Notícias


Parceria
 

Projetos Ambientais

 

Artesanato com fibras vegetais do interior do Amazonas tem mercado internacional

 

Desenvolvimento Sustentável

 

Refreando o consumismo

 

Desenvolvimento Sustentável

 

O "papa" do decrescimento

 

Desenvolvimento Sustentável

 

"Decrescendo"....Parte 1

 

Empresas

 

Imagens CST